Posts Tagged ‘ojb

07
Jul
08

Barómetro de conversação | Conversation Barometer

Depois de se ter visto os índices de interactividade, Nicolas Kayser-Bril e Nico Luchsinger lançaram-se na análise do índice de conversação de alguns blogs e sites. Os parâmetros são os links externos e internos, os comentários e as respostas a esses comentários, e as reacções noutros blogs. Como membro da equipa do OnlineJournalismBlog pretendo fazer uma análise semelhante para o cenário português. Em breve.

After analyzing the interactivity indexes, Nicolas Kayser-Bril and Nico Luchsinger set their minds to study the conversational index of some blogs and websites. The parameters are the internal and external links, comments and answers to comments, and external blog reactions. As a member of the OnlineJournalismBlog team, i intend to make a similar anlysis for the portuguese setting. Soon.

Le baromètre de la conversation

Après le baromètre de l’interactivité, construit par Joanna Geary et amélioré par l’équipe de l’Online Journalism Blog, voici le baromètre de la conversation ! (d’après une idée de Nico Luchsinger)

Sur le web, l’information doit se penser en une conversation au sein d’un réseau de lecteurs, d’acteurs et de rédacteurs.

Pourtant, la plupart des sites d’info issus des marques traditionnelles ressemblent encore à des cours magistraux où seuls les journalistes ont droit de cité.

Le baromètre de la conversation mesure l’implication des journalistes dans le réseau.

Continue a ler ‘Barómetro de conversação | Conversation Barometer’

15
Maio
08

Um post meu no OnlineJournalismBlog

Um post que escrevi há uns dias pode ser lido no OJB de Paul Bradshaw (e agora também de mais uns poucos). O tema é o jornalismo do cidadão em Portugal. O texto está em inglês mas podem ler a versão portuguesa em duas partes ( ler Parte 1 | ler Parte 2 ).

O post no OJB está aqui :

How Portuguese News Websites (don’t) use Citizen Journalism

Continue a ler ‘Um post meu no OnlineJournalismBlog’

09
Maio
08

Não é o lucro | It´s not about the profit

BBC citJ

O site holandês Skoeps.nl dedicado baseado em jornalismo do cidadão fechou a semana passada por não se ter tornado lucrativo. Nicolas Kayser-Bril explica as razões num post para o OJB.

O que levanta a questão: o jornalismo do cidadão envolve lucro?

—————————-

The citizen journalism based dutch website Skoeps.nl closed down last week because it didn’t turn out profitable.Nicolas Kayser-Bril tells us why in this OJB post.

Which raises the question: is citizen journalism about the profit?

Skoeps closure: CitJ is not about money

Continue a ler ‘Não é o lucro | It´s not about the profit’

02
Maio
08

Índice de Interactividade | Interactivity Index

Já começam a surgir resultados do estudo que a equipa do OJB (da qual faço parte) está a fazer sobre o grau de interactividade dos sites informativos, a partir de um primeiro estudo feito pela Joana Geary. Apesar de estar incompleto e a precisar de uma uniformização de dados, as primeiras conclusões são bastante interessantes. Desenvolvimentos em breve.

Results are coming out for the research run by the OJB team (of which i’m a part of) about the news website’s interactivity index, based on a previous study made by Joana Geary. Though it still is incomplete and in need of some data uniformization, the first results are quite interesting. More developments soon.

Jornais portugueses | Portuguese newspapers

Gráfico comparativo | Comparative chart

Continue a ler ‘Índice de Interactividade | Interactivity Index’

30
Abr
08

Recomendar as notícias

This post is the portuguese translation of the text Recommending news by Wilbert Baan at the OJB.

No seu primeiro post para o OJB, Wilbert Baan, designer de interactividade para o jornal holandês de Volkskrant, desenvolve a ideia de como as notícias podem ser items de partilha com a nossa comunidade pessoal. Ler texto original aqui.

Os websites como os conhecemos estão-se a desintegrar. Widgets,APIs e feeds levam a informação para outros lugares para além do domínio. Numa cultura de rede gostamos de levar a informação connnosco. No nosso telemóvel, desktop, widgets, websites, televisão digital, para todo o lado. Para o projecto do EN estou a reflectir sobre como podemos interagir com as notícias como objecto. Como podemos levar o artigo connosco ou usá-lo para criar novas colecções.

O artigo como objecto social

Por exemplo, no Flickr a fotografia é um objecto social. Temos uma página pessoal de contacto onde as fotografias relevantes para nós podem ser vistas. Todas estas fotos são provavelmente informação pública, mas é esta selecção baseada na nossa rede pessoal que torna esta página interessante para nós.

A mesma coisa acontece com o Del.icio.us, onde temos uma página com as páginas preferidas dos nossos amigos. Ou a Last.fm onde podemos saber que música os nossos amigos ouvem. E o Twitter, onde a sucessão de mensagens dos nossos amigos tornam este serviço valioso.

Hoje em dia os sites mais populares são criados em torno de nós.

Quase toda a informação nos sites da web 2.0 é informação pública. Links no Del.icio.us, artistas e canções na Last.fm, notas pessoais no Twitter. O que acrescenta valor a toda esta informação são as colecções que reunimos à nossa volta. Nós somos o centro e os nossos amigos virtuais estão à nossa volta. Os serviços da web 2.0 assentam em grupos de pessoas em que confiamos, tendo em conta quem eles são ou o que fizeram.

Notícias 2.0

As notícias raramente são apresentadas em torno de nós. São apresentadas de uma perspectiva em que o que é importante é definido pelos editores. Este é um sistema muito bom e fiável. Faz com que os sites e os jornais sejam diferentes e dá uma linha e personalidade às empresas de media.

Mas podem as notícias ser adaptadas a nós? Sabemos quais notícias são importantes para nós , certo? Confiamos nos nossos amigos? Pode a distribuição das notícias ser reduzida a um artigo (objecto) e ser sistematizada?

A maioria dos sites noticiosos já arrumam as notícias por popularidade e tempo. Isto é já uma forma mais sistematizada de distribuir as notícias e pode não ter nada a ver com a real importância da notícia. Eu não estou a defender que se deveria personalizar todo um site noticioso, pode ser apenas uma página como as páginas dos “amigos” no Del.icio.us, Flickr e Twitter.

As vossas ideias

Poderemos fazer às notícias o que a Amazon faz aos produtos? Gostariam saber que notícias os vossos amigos lêem? Ou estariam a perder a informação que é importante para vocês ou as surpresas? Alguns websites – como o Google News – estão já a fazer experiências com as recomendações. Gostaram? E conhecem mais algum website que crie uma experiência noticiosa valiosa em torno de vocês?

_______________________________________

Basicamente o que Baan defende é que as notícias podem ser mais um artigo de partilha dentro das nossas redes sociais, redefinindo-as da mesma forma que os outros artigos que costumamos partilhar. Isto implica talvez uma redefinição nas estruturas dos sites noticiosos e talvez na sua linha editorial. A personalização da agenda noticiosa é provavelmente umas das características mais revolucionárias no jornalismo do futuro próximo, que se neste momento se encontra a caminho do hiperlocal, assim se transformará no hiperpessoal.

Deixem as vossas sugestões e comentários a estas ideias do Wilbert. Podem também visitar o seu blog.

Continue a ler ‘Recomendar as notícias’




I moved | Mudei-me

140char

Sharks patrol these waters

  • 131.777 nadadores|swimmers
who's online

Add to Technorati Favorites

View my FriendFeed



Twitter

Add to Technorati Favorites Creative Commons License

Naymz | LinkedIn

View Alex Gamela's profile on LinkedIn

View Alex Gamela's page at wiredjournalists.com


Videocast

Top Clicks

  • Nenhum

a

Ouçam o meu podcast AQUI | Listen to my podcast HERE |


My del.icio.us

Use Open Source

LastFM

 

Maio 2020
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031