Posts Tagged ‘website

15
Mai
09

From sketch to reality | Do esboço à realidade

It’s always interesting to compare the first ideas we had for a project long after it is done. We always marvel at the details we sacrificed on behalf of a better result, how different solutions came up along the way. This is the idea that Alexandre Brito shares when commenting the first drafts of RTP news website:

“Some things remained the same, others were changed, but without this beginning, like in any other similar process like this, nothing would be finished.”

Everything begins with an idea, pencil and paper.

É sempre interessante comparar as primeiras ideias que tivemos para um projecto algum tempo depois de o termos terminado. Contemplamos os detalhes que sacrificámos para um resultado melhor, que soluções diferentes surgiram. Esta é a ideia que o Alexandre Brito partilha ao comentar os primeiros esboços do novo site informativo da RTP:

“Algumas coisas ficaram iguais, outras foram alteradas, mas sem este início, como é natural em qualquer processo semelhante, nada estaria concluído.”

Tudo começa com uma ideia, papel e lápis.

E assim começa o nascimento de um sítio de informação...

The draft... | O esboço...

The website | O site

The website | O site

Na arrumação de papéis por vezes encontramos folhas que têm um valor histórico, mas, no nosso caso, também um valor sentimental. Em Março deste ano mudámos o layout da área de informação do site da RTP. Um processo que começou em Agosto de 2008, com uma análise da navegação dos nossos “internautas” pelo site da RTP. Algum tempo depois, a papel e lápis, desenhámos o que se pretendia colocar online. As imagens que aqui mostro revelam esses mesmos desenhos. Ou seja, este será o ADN do noticias.rtp.pt.

Alexandre Brito

Continue a ler ‘From sketch to reality | Do esboço à realidade’

07
Mai
09

i: A newspaper is born – the website | Nasceu um Jornal – o website

ilogo

Today is the beginning a new era in the portuguese news industry. i is out on the stands and the web, and it already has defined a unique personality, becoming a true game changer right from the start. This is a first glance review to their website and their online features.

Hoje é o início de uma nova era na indústria informativa portuguesa. O i está nas bancas e na web, e já tem definida uma personalidade única, assumindo-se desde início como uma verdadeira mudança. Esta é uma análise à primeira vista ao seu website e trabalho no online.

Cover & Article | Capa & Artigo

Home & Article | Início & Artigo

What is immediately striking when you open i‘s website is its cleanliness: three content columns under a  header, dominating the top of the page with a slideshow  for the major news stories ; there is no clutter, no text beyond tiles (finally somebody got it), video right in the middle of the page, that doesn’t get to fill the whole width of the screen. The left yellow sidebar shows the main website features, middle column is for content and on the right the usual “most read/commmented” boards, special assignments, and live sport results. At the bottom, three content columns: Country, World, Sports. Can’t get any simpler than that. The newsroom and the newspaper are divided into four sections: Zoom, Radar, More and Sports. The website reflects this oranization.

Each article seems to have at least one picture whenever possible and it has the usual vote, send and print features. It also has a social bookmarking tool that allows you to send the story to Google Bookmarks, Technorati, and (the schock!) Facebook, MySpace, Flickr(!?) and almighty Twitter. Social networking seems to be quite a deal for the project since they designated a few reporters to handle Twitter, Facebook, and YouTube accounts. In a Twitter conversation i had with the man in charge for social networking he put the concept in one word: they want to build an “icommunity”.

Users are invited to participate in the life of the newsroom, sharing their news in a feature called iReporter. You send content using your user profile, and share it under “news story” or film, restaurant, music (etc) reviews, up to 1500 char. You can also post pictures and video right away. All articles must comply to i’s editorial rules.

The website also has a few blogs, i really didn’t explore them, but they all seem to be invited by the editors.

Another thing that i’m curious about is how they will interact with the rest of the companies of the group. They own a few regional newspapers and radios, and i wonder how national and local will work together (if ever). The website has a page for them, but for now, it’s just the logos.

Video seems to be an important bet for i. They look technically great, though the TV like narrative is still present (not a surprise, the presentation video was made by a TV journalist), but it looks good. Shareable, embeddable (except for wordpress.com, a platform problem), easy to load, what  else could you ask? I’ll be waiting for more video work.

Overall, the i website is one step into the future, in design -it looks gourgeous-, philosophy, organization. It is not made for shovelware, and it would be a real shame if they fell into that. There are other details i have to explore in time, like linking, comment moderation, social networks interaction, etc. But they’re off to a good start online.

O que imediatamente salta à vista quando entramos no site do i é a limpeza: três colunas de conteúdos sob um cabeçalho a dominar o topo da página com um slideshow para as notícias mais importantes; não está tudo atravancado, nenhum texto para além dos títulos (até que enfim que alguém percebeu isso), video mesmo no centro da página, que nem chega a ocupar toda a largura do monitor. A barra amarela de lado tem as rubricas principais do site, a coluna do meio é para o conteúdo informativo, e à direita os normais quadros de “mais lidos/comentados”, temas especiais, e resultados desportivos ao vivo. Ao fundo, três colunas de conteúdo: Portugal, Mundo,Desporto. Mais simples não há. A redacção e o jornal estão divididos em quatro secções: Zoom, Radar, Mais e Desporto, e isso nota-se no site.

Cada artigo parece ter pelo menos uma foto sempre que possível e tem as ferramentas normais de votação, enviar e imprimir. Existe também uma ferramenta de bookmarking social que permite enviar a notícia para os Google Bookmarks, Technorati, e (o choque!) Facebook, MySpace, Flickr(!?) e o todo-poderoso Twitter. As redes sociais parecem ser um ponto muito importante para o projecto, já que designaram alguns jornalistas para gerir as contas do Twitter, Facebook e Youtube. Numa conversa via Twitter com o homem responsável pelas redes sociais, ele pôs o conceito numa palavra: eles querem construir uma “icomunidade”.

Os utilizadores estão convidados a participar na vida da redacção, partilhando as suas notícias numa rubrica chamada iRepórter. Podem enviar conteúdos através do seu perfil de utilizador, e partilhá-lo como notícia, ou crítica a filmes, restaurantes, música etc, até 1500 caracteres. Podem também colocar fotos e video na hora. Todos os artigos têm que cumprir com as regras editoriais do i. Vamos ver como funciona. O site também tem alguns blogs, ainda não os explorei, mas parecem ser todos convidados pela editoria.

Outra coisa que me deixou curioso é a forma como vão interagir com as outras empresas do grupo. Eles têm alguns rádios e jornais regionais, e gostava de saber como o nacional e o local irão trabalhar juntos (se é que vão). O site tem uma página para eles, mas para já, são apenas os logos.

O video parce ser uma parte importante para o i. Eles tecnicamente parecem ser muito bons, apesar da narrativa TV estar ainda presente (não é surpresa se virmos que o video de apresentação é feito por umn jornalista de TV), mas parece bem. Partilhável, “embutível” (excepto no wordpress.com, mas isso é problema da plataforma), fácil de carregar, que mais podemos pedir? Vou ficar à espera de mais trabalhos video.

No geral, o site do i é um passo para o futuro, no design – é bonito- , filosofia, organização, Não está talhado para despejar conteúdo do papel e espero que não caiam nisso. Há outros detalhes que é preciso explorar com tempo, como a economia de links, moderação de comentários, a interacção com as redes sociais, etc. Mas o início online parece promissor.

iTV

iTV

Continue a ler ‘i: A newspaper is born – the website | Nasceu um Jornal – o website’

02
Abr
09

New Life | Vida Nova

http://www.life.com/

Life is the mother of american photojournalism magazines. So when Time Inc. decided to fold the print magazine two years ago, there was a huge void in the news landscape, where tradition and History once stood. Google joined efforts with Time last year to keep Life’s legacy alive, creating a photo archive that managed 110 years of pictures. Valuable, but no where close to where the Life brand should be.

But yesterday, their new website was launched. Life.com is a partnership between Time Inc.  and Getty images, and is a dynamic presentation of present day photojournalism, and archive pictures, starting in the 1850’s. The new website has lots of features like celebrity curators, user and editor’s pick and theme areas. Life ‘s iconic value has been  recovered, and even more, it has stepped into a new age.

A Life é a mãe das revistas americanas de fotojornalismo. Por isso, quando a Time Inc. decidiu fechar a revista em papel há dois anos, ficou um enorme vazio na paisagem noticiosa, onde antes se associaram tradição e História. O Google uniu esforços com a Time no ano passado para manter o legado da Life vivo, criando um arquivo fotográfico que abrangia 110 anos de fotos. Valioso, mas abaixo do valor da marca Life.

Mas ontem lançaram o seu novo website. O Life.com é uma parceria entre a Time Inc. e a Getty Images, e é uma apresentação dinâmica do fotojornalismo actual, e imagens de arquivo, que começa em 1850. O novo site tem áreas temáticas, escolhas de celebridades, escolhas do editor e do utilizador. O valor icónico da Life foi recuperado, e , mais do que isso, foi transportado para uma nova era.

Continue a ler ‘New Life | Vida Nova’

01
Abr
09

Who has the biggest sheet? | Quem tem o maior lençol?

Who's bigger | Quem a tem maior

Luis Santos did a small comparison between the size of different portuguese news websites’ frontpages. DN, that had his page revamped last week has the longest. And in your country, who has the biggest home?

O Luís Santos do Atrium fez uma pequena comparação do tamanho das páginas de entrada de sites informativos nacionais. O DN, que fez a sua renovação gráfica a semana passada tem a mais comprida.

Os últimos são mesmo os primeiros… contrariando a tendência do momento (de maior sobriedade, notória, por exemplo, aqui) o Diário de Notícias bate todos os outros por uma margem substancial…eu diria que quase tem um ecrã a mais do que o Expresso (2º, nesta curiosa ordenação).
A mais pequena é a da Rádio Renascença, seguida pela TVI, RTP e SIC.
Uma outra curiosidade – parece consensualizada em Portugal a noção de que os conteúdos devem aparecer ordenados fundamentalmente em três colunas.

Luís Santos

Continue a ler ‘Who has the biggest sheet? | Quem tem o maior lençol?’

20
Mar
09

More on the DN review | Mais sobre o DN

The Lake on today's edition | O Lago na edição de hoje

The Lake on today's edition | O Lago na edição de hoje

Yesterday’s review on the new Diário de Notícias website granted me a space in their print edition. They were analyzing the reactions of readers and bloggers to the makeover, in the centre pages. Cool! To have your name in print is always fun…

But there were other reviews that i take as better than mine. Luís Santos, who writes one of the best portuguese blogs about new media, did a detailed review about DN’s new website, in which he says:

“The new website is light years ahead of the old one. This alone is not saying much,  since the previous website was still deep in the 90’s, but still, it is a noticeable improvement.”

He goes on criticizing the subjects organization, and the slowness of the updating of the news (probably because it was their first day),   though he highlights the new aesthetic as positive.

I had a few comments on my post and on twitter that complained about  the font size (too small), some gaps in the content organization, and the poor navigation. All in all, everyone recognizes that a newspaper with the importance of Diário de Notícias was in need of a makeover.

I bought the newspaper today, and i noticed another detail: in some articles they refer to the website for more online content (see below). I think this is a great idea.

And a final note: when i criticize anything in my blog, i do it according to my experience, my view on the subject, and my knowledge, that grows everyday. My opinion is what it is, and i’m not always right – and that’s a good thing. And if sometimes i sound a bit harsh, it’s because i want to help to improve the current state of things the way i can, and not to put down hard working professionals. I don’t want to hurt nobody’s feelings, but if you can’t take criticism, please, stay at home and hide under your bed. The way is forward, and if you’re going backwards, someone has to let you know. So listen to others, and take what you need. If everyone says it’s ok, we’ll always be stuck in the same place.

Congratulations to the DN team, i hope this is the beginning of a prosperous adventure, and thank you so much for listening and referring my humble opinion.

A minha crítica de ontem ao novo site do Diário de Notícias deu-me um espaço na edição impressa. Eles analisaram as reacções dos leitores e de bloggers à mudança, nas páginas centrais. Porreiro! Ter o nosso nome impresso é sempre agradável…

Mas houve outras críticas que acho que foram melhores que a minha. Luís Santos, que escreve um dos melhores blogues portugueses sobre os novos media, fez uma análise detalhada  ao novo site do DN, onde diz:

“O novo site está a anos-luz do anterior. Isto, em si, não é dizer muito, uma vez que o site anterior do DN vivia ainda mergulhado nos anos 90 mas, ainda assim, a melhoria é de assinalar.”

Ele ainda critica a organização dos assuntos, e a lentidão a actualizar a informação,(provavelmente por ser o primeiro dia), apesar de destacar positivamente a nova estética.

Tive alguns comentários ao meu post e no Twitter a queixarem-se do tamanho da letra (demasiado pequena), alguns buracos na organização do conteúdo, e a pobre navegação. No geral, todos reconhecem que um jornal desta importância estava a precisar de uma mudança.

Como comprei hoje o jornal, reparei que em alguns artigos eles fazem uma chamada para o site para mais conteúdos online (abaixo). Acho que é uma ideia muito boa.

E uma nota final: quando critico alguma coisa no meu blog, faço-o de acordo com a minha experiência, ponto de vista e conhecimento, que aumenta todos os dias. A minha opinião vale o que vale, e nem sempre estou certo- e ainda bem. E se por vezes posso soar ríspido, é porque quero ajudar a melhorar o estado das coisas da maneira que posso, e não deitar abaixo profissionais esforçados. Não procuro ferir os sentimentos de ninguém, mas se não aceitam uma crítica, por favor, fiquem em casa e escondam-se debaixo da cama. O caminho faz-se em frente, e se estiverem a andar para trás, alguém tem que vos dizer. Por isso ouçam os outros e tirem o que vos é preciso. Se toda a gente disser que está tudo bem, nunca mais saímos do mesmo sítio.

Parabéns à equipa do DN, espero que esta seja o príncípio de algo bom, e muito obrigado por me ouvirem e terem  referido a minha humilde opinião.

Look! There's more in the website | Olhem! Há mais no site

Look! There's more in the website | Olhem! Há mais no site

Continue a ler ‘More on the DN review | Mais sobre o DN’

19
Mar
09

Diário de Notícias: New website | Novo site

One of the oldest portuguese dailies – Diário de Notícias – premiered their long overdue website today. Here’s a quick overview on what has changed.

O Diário de Notícias estreou hoje o há muito aguardado e necessário website. Aqui fica uma rápida análise sobre o que mudou.

Spot the differences | Procurem as diferenças

Spot the differences | Procurem as diferenças

It’s a dramatic change for DN. Yesterday they were 7 years behind everyone and today, at least, they are on the same level. From a shovelware, dull, zero-interactivity page, they went to a complex, colorful, multimedia website. They have video,photo galleries, a new Specials section (where they use their archive to focus on a special subject), and a broad content organization structure that holds many different sections, much more than the old website did. Each section has it’s own color wich makes it more easy to identify.  As you can see, the homepage is longer, and as far design is concerned, there’s nothing much else to say: they’re using a standard presentation layout with a narrower middle column. The font is a bit too small for me to feel comfortable, but maybe it’s just me needing glasses.

Each section works as an independent page, and most are easy to browse. One of the main differences is the profusity of pictures, though sometimes in the main page we have one for the story, but not in the article, just a block of text.

É uma mudança dramática para o DN. Ontem eles estava 7 anos atrasados em relação a toda a gente e hoje, no mínimo, estão ao mesmo nível. De um site aborrecido, sem interactividade, de conteúdo despejado do papel, passaram para uma página complexa, colorida e multimédia. Têm video, galerias de fotos, uma nova secção de Especiais (onde usam o próprio arquivo para abordarem um assunto específico, e uma  estrutura alargada  de organização de conteúdos, que alberga muitas mais e diferentes secções que o site anterior. Cada secção tem a sua cor própria o que torna mais fácil a sua identificação. Como podem ver, a página de início é mais comprida, e quanto ao design, não há muito mais a dizer: estão a usar um layout tradicional, com uma coluna do meio mais estreita. A fonte de letra é talvez demasiado pequena para mim, mas se calhar sou eu precisar de óculos.

Cada secção funciona como uma página independente, e a maioria é fácil de navegar. Uma das maiores diferenças que noto é uma maior quantidade de imagens, apesar de muitas vezes haver uma no lançamento da notícia mas não no artigo, existindo apenas um bloco de texto.

One section, one color | Uma secção, uma cor

One section, one color | Uma secção, uma cor

The articles i read still feel like shovelware, no external links, written for paper rather than for the web, but this is a reference newspaper so they’re good. No editorial issues here, just a better adaptation to online is needed. All articles have the standard features for printing, sending by email, stats and the AddThis social bookmarking tool. To comment you have to be registered with the website, and as far as i can see that’s the only extra in  registering.

The multimedia stuff is still a bit flimsy: you can’t control the photo slideshows, the video on the website comes from agencies, and i believe  that may become harmful for the (any) newspapers image. This example looks like a begginers exercise for tv interviewing – B roll footage of the hands  and face closeups,  meaningless images for opening and closing the video with no voice over, well, i know what i’m talking about because i did the same. It’s a bad TV visual narrative that shouldn’t be used online (at least i believe this is not a DN production, i might be wrong, but i don’t know if they even have video reporters).It seems there is an effort to have audio and video content, so all we have to do is wait for them to evolve. I have no information if  there is an investment on multimedia reporting, but i doubt it, i’ll tell you why in the end. One of the best sections is the infographics, i always  loved their visuals and online they still look neat and effective.

Os artigos que eu li ainda parecem copiados do papel, sem links externos, escritos para papel em vez de para a web, mas este é um jornal de referência, por isso são bons. Não tenho questões editoriais, só é necessária uma melhor adaptação ao online. Todos os artigos têm as aplicações standard de imprimir, enviar por email, estatísticas e bookmarking social. Precisamos de nos registar para comentar os artigos, e pelo que vi é o único extra que o registo traz.

A parte multimédia é um pouco fraca: não temos controlo sobre os slideshows, o video no site vem de agências, e acredito que isto pode ser prejudicial para a imagem do (de qualquer) jornal. Este exemplo parece um exercício de principiante para entrevistas TV – planos de corte das mãos, planos apertados da cara, imagens sem sentido nem narração a abrir e a fechar, bem, eu sei do que estou a falar porque fiz o mesmo. É uma narrativa visual televisiva má que não deve ser usada online (acho que isto não é uma produção do DN, posso estar enganado, mas acho que eles nem têm reporteres vídeo). Parece que há um esforço em ter conteúdos video e áudio, por isso é esperar pela evolução. Não tenho informações sobre investimento emjornalistas  multimédia, mas duvido e explico-vos porquê no fim. Uma das melhores secções é a de Infografias, eu sempre gostei dos gráficos do DN e eles online ainda parecem bonitos e eficazes.

Increase in sales but the least sold | Aumento nas vendas mas o menos vendido

Increase in sales but the one of least sold | Aumento nas vendas mas um dos menos vendidos

Despite the positive numbers from 2008, the Diário de Notícias was one of the editions of the Controlinveste group affected by a massive layoff, and in the public eye is looked as one of the biggest candidates to kill print first.  So this may just be a skin deep change in the life of the newspaper, instead of a new step towards the future, that’s is what i was talking about before: i haven’t heard anything about new multimedia reporters in the DN newsroom, and if the policy is to fire and not to hire,i don’t know if any will come. It seems they will be still working for paper, and not bother  about online content either way, since it will always be shovelware, and agency multimedia content. Nonetheless, their new website looks great. Lets just wait and see how it will turn out for them.

And you? What do you think about this makeover? Leave your thoughts in the comments below.

Apesar dos números positivos de 2008, o Diário de Notícias foi uma das edições do grupo Controlinveste a ser afectado por um despedimento colectivo, e aos olhos do público é um dos grandes candidatos a fechar a edição impressa primeiro. Portanto se calhar esta é uma mudança superficial na vida deste jornal, em vez de um passo em direcção ao futuro, era sobre isso que estava a falar antes: não sei de repórteres multimédia na redacção do DN, e  se a política é despedir e não contratar, não sei se eles virão. O papel parece  continuar a ser a prioridade, e tenho dúvidas se se preocuparão muito com o conteúdo online, que me parece ser shovelware, e multimédia de agência. Apesar de tudo, o novo site deles parece muito bem. Vamos esperar e ver como vai resultar para eles.

E vocês? O que acham desta mudança? Deixem as vossas ideias nos comentários.

Continue a ler ‘Diário de Notícias: New website | Novo site’

03
Mar
09

New websites for portuguese TV channels | Novos site para canais de televisão portugueses

TVI24

TVI24

Last week a new news channel made its’ premiere on cable. TVI24 is the 24 hour news endeavor of TVI, one of the four free-to-air portuguese TV channels. It’s the third of its kind after SIC Notícias and the public channel RTP-N. But the reason for this post it’s their website.

Based on the format of Portugal Diário (which went through a makeover last year), TVI24 website takes the best of it and adds a bit more of color and a video stream on the top right corner. Besides that it’s just the same. The word is that both websites will merge, since they belong to the same media group.

Who also revamped their news website was RTP. The public television rearranged their contents, and design, creating a good looking page. Now lets see what will the remaining news channel will do to stay up to speed with the competition.

Na semana passada estreou-se um novo canal de notícias por cabo. A TVI24 é o canal informativo 24 horas da TVI, um dos nossos canais de emissão aberta. É o terceiro do género a seguir à SIC Notícias e à RTP-N, este parte do serviço público. Mas a razão deste post é o site deles.

Baseado no formato do Portugal Diário (que fez uma remodelação no ano passado), o site da TVI24 tira o melhor de lá e junta mais um pouco de côr e um stream de vídeo no canto superior direito. Tirando isso é igual. O que se diz é que vão fundir os dois sites, já que ambos pertencem ao mesmo grupo.

Quem também melhorou a secção informativa do seu site foi a RTP. A televisão pública melhorou a disposição dos conteúdos e o design,criando uma página agradável à vista. Vamos agora ver o que a SIC vai fazer para acompanhar a concorrência

more about “O novo site de informa“, posted with vodpod

Continue a ler ‘New websites for portuguese TV channels | Novos site para canais de televisão portugueses’

15
Jan
09

Local mistakes revisited | Erros no local revisitados

New layout, old mistakes | Novo aspecto, erros antigos

New layout, old mistakes | Novo aspecto, erros antigos

Last April i wrote a post about the policy of one of the biggest regional newspapers in my residence area, and how it was plain online suicide. Back then i also said it was a great opportunity for the competition. Well, it was not well taken.

Diário de Coimbra’s website got a facelift, but let me count the ways it was just a skin deep operation.

1-The announcement of the makeover is made on a post dated from January 2nd. Two weeks later, the transition still continues, with lots of features not working yet. Poor planning or a taste for improvising?

2-The change in the layout is poor,and it has the image-reflected-equals-2.0 vibe. Useless, and ugly.

3- In the new visible features we have a Sapo news scroller (which i believe to be a part of an arrangement between the portal and news outlets) and a audio player to listen to a local radio. That’s as far multimedia goes. And a weather thingy.

4-Readers can sign in,though i really don’t know what they get by doing it. The interaction resumes to comments, polls, and a brand new (inactive) forum.

5-They’re using Joomla, a CMS i know rather well, and use all the time in my part time occupation as a website builder. With the proper planning i’d build this website in three days, with a better looking template, and it would cost them around 500€.  It would be up and running after one week. Devising a strategy for the online would cost about as much,if i was the one doing it (my fees are low for now). I wonder how did it cost this new look.

6-Diário de Coimbra belongs to a larger group that includes local radios, as we’ve seen before, and three other newspapers: Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu. Click through to see which one is getting a makeover too. Instead of using one website, that would use cookies to define which local version would appear to each user, they have four different , separate versions for each one of them. This is not a cost effective solution, and it is not taking advantage of the editorial possibilities since these newspapers  cover close realities and markets, but the news can only be found in the respective websites, instead of crossing over into the others.

7-Good things: a RSS icon (though i bet they didn’t know what’s the use for it) , and the will to renew their web presence. It’s a pity that this will is mislead. Fine feathers make fine birds, but nothing is fine here. There’s nothing new, there’s no strategy, just the inability to understand how media is evolving.

About the other newspaper that made me write the first post, well, nothing has changed really. But i believe i’ll be doing some posting about it soon…

Em Abril passado, escrevi um post sobre a política de um dos maiores regionais da minha área de residência, e como era simplesmente suicídio. Nessa altura também disse que era uma grande oportunidade para a concorrência. Pelos vistos, mal aproveitada.

O site do Diário de Coimbra foi renovado, mas deixem-me vos explicar como continua tudo na mesma.

1- O anúncio da renovação vem num post datado de 2 de Janeiro. Duas semanas mais tarde, a transição ainda continua, com muitas aplicações ainda sem funcionar. Falta de planeamento  ou feito em cima do joelho?

2- A mudança gráfica é pobre, e usa o conceito da imagem-reflectida-para-parecer-2.0. Inútil e feio.

3- Nas novas aplicações visíveis temos um scroller de notícias da Sapo (creio eu que ao abrigo de um acordo entre o portal e o jornais regionais) e um leitor áudio para ouvir uma rádio local. É o multimédia que há. E uma coisa para o tempo.

4-Os leitores podem fazer inscrever-se no site, mas não sei o que ganham com isso. A interacção resume-se aos comentários, sondagens, e um novíssimo (e inactivo) fórum.

5- Eles estão a usar o Joomla, um CMS que conheço bastante bem e que uso na mior parte das vezes no meu parte-time como trolha de websites. Com a devida planificação, fazia este site em três dias, com um template mais catita, por 500€. Ficava pronto a funcionar ao fim de uma semana. Definir uma estratégia para o online custava-lhes outro tanto, se fosse eu a fazê-la (ainda levo barato). Nem imagino quanto custou este novo look.

6-O Diário de Coimbra pertence a um grupo que inclui uma rádio local, como já vimos e três outros jornais: Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu. Cliquem nos links para ver quem é que está também a ser renovado. Em vez de usarem um só website, que usaria cookies para definir qual das versões locais apareceria para cada utilizador, eles têm quatro versões diferentes e separadas para cada um. Esta não é uma solução financeiramente eficaz, já que estes jornais cobrem realidades e mercados relativamente próximos, mas as notícias só se encontram nos respectivos websites, em vez de transitar e aparecer nos outros.

7-Coisas boas: um icon de RSS (embora aposte que não saibam para que serve), e a vontade de renovar a sua presença na web. É pena é que essa vontade seja mal orientada. O hábito faz o monge,mas aqui não faz um bom site. Não há nada de novo, não há uma estratégia, só a  incapacidade de compreender como os media estão a evoluir.

Quanto ao outro jornal que provocou o primeiro post, bem, nada mudou entretanto. Mas acredito que irei escrever um post sobre eles em breve…

Continue a ler ‘Local mistakes revisited | Erros no local revisitados’

16
Out
08

@ Verdade – website

Logótipo Beez, as três abelhinhas

Falei d’@Verdade aqui há uns tempos e uma das dificuldades que tive na altura foi descobrir o site deles e os contactos, que muita gente pediu a altura. Aqui fica o link e o desejo de boa sorte para todos que levam @Verdade em frente em Moçambique.

NOTA: o site do jornal é construído em Joomla, uma das plataformas CMS mais versáteis e fáceis para se construir um site informativo. E gratuita. Não percebo como é que há jornais locais em Portugal que gastam imenso dinheiro em plataformas fechadas- e sites horríveis- criadas por empresas de infromática que se encarregam elas mesmo de alterar os conteúdos e layout das páginas, fechando esse processo à redacção. Não podem haver barreiras entre os jornalistas e o site, mas também é verdade que há muitos jornalistas que têm medo de espreitar por detrás da cortina.

I wrote about @Verdade a few weeks ago, and one of the problems i had then was to find their website, and a contact, that were asked by so many readers. Here’s the link now, and i wish the best of luck for all of those who are delivering @Verdade in Mozambique.

NOTE: the newspaper’s website is built in Joomla, one of the most versatile and easiest to work as a news website platform.And it’s free. I can’t understand how there are local newspapers in Portugal spending huge amounts of money in author platforms -and dreadful websites- created by IT companies that take care of publishing content and changing layouts themselves, shutting that process to the newsroom. There can’t be no barriers between journalists and the website, but it’s also true that many are afraid to look behind the curtain.

http://verdade.co.mz/

Continue a ler ‘@ Verdade – website’

03
Jul
08

Páginas Amarelas 3.0 | Yellow Pages 3.0

As Páginas Amarelas devem ter visto o caso mal parado quando apareceu a internet. Ou talvez não. Só sei que em Portugal, o livro com mais personagens e lugares mas com o pior enredo do mundo conseguiu  criar uma presença online de respeito e tremendamente funcional: ele é mapas, contactos de email, sites das empresas e agora até têm um botão para fazer chamadas grátis para o número fixo da empresa, através do nosso telemóvel ou do PC.

Por isso até que nem fiquei surpreendido quando o @quenteseboas me adicionou no Twitter e percebi o que aquilo era. Apoiados pela imagem de um apresentador popular entre uma certa faixa jovem da população, o site www.quenteseboas.pt promove um concurso de vídeo para a internet, tem um blog, oferece wallpapers e tem notícias(!!!). O mais chocante foi quando reparei que esta iniciativa está presente em mais redes sociais que eu (que tenho sido acusado de viver na web).

Eu já achava esta evolução do Grande Livro um fenómeno exemplar de sobrevivência e visão, e ainda fiquei mais seguro quando tive que responder a um inquérito assim que entrei no site, que entre várias hipóteses perguntava se eu achava importante ter notícias nas Páginas Amarelas. Ai pois acho que sim.

Quando me perguntarem como é que se deve desenvolver um site informativo, mando-os logo para as Páginas Amarelas.

The Yellow Pages must have seen things go terribly wrong when the internet showed up. Or maybe not. I just know that in Portugal, the book with most characters and places abd the dullest plot in the world  managed to create a respectful and highly functional online presence: they have maps, email contacts, companies’ websites and now they even have a free call button to phone through our cell, or even our PC.

So i wasn’t really that surprised when @quenteseboas added me on Twitter and i realized what it was all about. Supported by the image of a well know presentor, especially among the younger fringes of the audience, the website www.quenteseboas.pt is holding a internet video contest, they have a blog, they offer wallpapers and also have news (!!!). The most schocking part was when i noticed that this iniciative is present in more social networks than i am (i’ve been acused of being a web dweller).

I already thought that this Big Book evolution was a commendable phenomenon of survival and vision, and i was even more reassured when i had to answer to a survey as soon as i got in the website , and that, among other questions, asked if thought it was important to have news at the Yellow Pages.Oh i think so, yes.

When someone asks me how they should develop a informational website, i’ll head them right over to the Yellow pages.




I moved | Mudei-me

140char

Sharks patrol these waters

  • 120,807 nadadores|swimmers
who's online

Add to Technorati Favorites

View my FriendFeed



Twitter

Add to Technorati Favorites Creative Commons License

Naymz | LinkedIn

View Alex Gamela's profile on LinkedIn

View Alex Gamela's page at wiredjournalists.com


Videocast

Top Clicks

  • Nenhum

a

Ouçam o meu podcast AQUI | Listen to my podcast HERE |


My del.icio.us

Use Open Source

LastFM

 

Julho 2014
S T Q Q S S D
« Out    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.