Posts Tagged ‘diário de coimbra

15
Jan
09

Local mistakes revisited | Erros no local revisitados

New layout, old mistakes | Novo aspecto, erros antigos

New layout, old mistakes | Novo aspecto, erros antigos

Last April i wrote a post about the policy of one of the biggest regional newspapers in my residence area, and how it was plain online suicide. Back then i also said it was a great opportunity for the competition. Well, it was not well taken.

Diário de Coimbra’s website got a facelift, but let me count the ways it was just a skin deep operation.

1-The announcement of the makeover is made on a post dated from January 2nd. Two weeks later, the transition still continues, with lots of features not working yet. Poor planning or a taste for improvising?

2-The change in the layout is poor,and it has the image-reflected-equals-2.0 vibe. Useless, and ugly.

3- In the new visible features we have a Sapo news scroller (which i believe to be a part of an arrangement between the portal and news outlets) and a audio player to listen to a local radio. That’s as far multimedia goes. And a weather thingy.

4-Readers can sign in,though i really don’t know what they get by doing it. The interaction resumes to comments, polls, and a brand new (inactive) forum.

5-They’re using Joomla, a CMS i know rather well, and use all the time in my part time occupation as a website builder. With the proper planning i’d build this website in three days, with a better looking template, and it would cost them around 500€.  It would be up and running after one week. Devising a strategy for the online would cost about as much,if i was the one doing it (my fees are low for now). I wonder how did it cost this new look.

6-Diário de Coimbra belongs to a larger group that includes local radios, as we’ve seen before, and three other newspapers: Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu. Click through to see which one is getting a makeover too. Instead of using one website, that would use cookies to define which local version would appear to each user, they have four different , separate versions for each one of them. This is not a cost effective solution, and it is not taking advantage of the editorial possibilities since these newspapers  cover close realities and markets, but the news can only be found in the respective websites, instead of crossing over into the others.

7-Good things: a RSS icon (though i bet they didn’t know what’s the use for it) , and the will to renew their web presence. It’s a pity that this will is mislead. Fine feathers make fine birds, but nothing is fine here. There’s nothing new, there’s no strategy, just the inability to understand how media is evolving.

About the other newspaper that made me write the first post, well, nothing has changed really. But i believe i’ll be doing some posting about it soon…

Em Abril passado, escrevi um post sobre a política de um dos maiores regionais da minha área de residência, e como era simplesmente suicídio. Nessa altura também disse que era uma grande oportunidade para a concorrência. Pelos vistos, mal aproveitada.

O site do Diário de Coimbra foi renovado, mas deixem-me vos explicar como continua tudo na mesma.

1- O anúncio da renovação vem num post datado de 2 de Janeiro. Duas semanas mais tarde, a transição ainda continua, com muitas aplicações ainda sem funcionar. Falta de planeamento  ou feito em cima do joelho?

2- A mudança gráfica é pobre, e usa o conceito da imagem-reflectida-para-parecer-2.0. Inútil e feio.

3- Nas novas aplicações visíveis temos um scroller de notícias da Sapo (creio eu que ao abrigo de um acordo entre o portal e o jornais regionais) e um leitor áudio para ouvir uma rádio local. É o multimédia que há. E uma coisa para o tempo.

4-Os leitores podem fazer inscrever-se no site, mas não sei o que ganham com isso. A interacção resume-se aos comentários, sondagens, e um novíssimo (e inactivo) fórum.

5- Eles estão a usar o Joomla, um CMS que conheço bastante bem e que uso na mior parte das vezes no meu parte-time como trolha de websites. Com a devida planificação, fazia este site em três dias, com um template mais catita, por 500€. Ficava pronto a funcionar ao fim de uma semana. Definir uma estratégia para o online custava-lhes outro tanto, se fosse eu a fazê-la (ainda levo barato). Nem imagino quanto custou este novo look.

6-O Diário de Coimbra pertence a um grupo que inclui uma rádio local, como já vimos e três outros jornais: Diário de Aveiro, Diário de Leiria, Diário de Viseu. Cliquem nos links para ver quem é que está também a ser renovado. Em vez de usarem um só website, que usaria cookies para definir qual das versões locais apareceria para cada utilizador, eles têm quatro versões diferentes e separadas para cada um. Esta não é uma solução financeiramente eficaz, já que estes jornais cobrem realidades e mercados relativamente próximos, mas as notícias só se encontram nos respectivos websites, em vez de transitar e aparecer nos outros.

7-Coisas boas: um icon de RSS (embora aposte que não saibam para que serve), e a vontade de renovar a sua presença na web. É pena é que essa vontade seja mal orientada. O hábito faz o monge,mas aqui não faz um bom site. Não há nada de novo, não há uma estratégia, só a  incapacidade de compreender como os media estão a evoluir.

Quanto ao outro jornal que provocou o primeiro post, bem, nada mudou entretanto. Mas acredito que irei escrever um post sobre eles em breve…

Continue a ler ‘Local mistakes revisited | Erros no local revisitados’

10
Abr
08

Suicídio Online | Online Suicide

Por um Jornal | By a Newspaper

Este é um caso prático sobre como um jornal está a ir pelo caminho errado.

Coimbra é uma das mais importantes cidades portuguesas, é a cidade universitária por excelência com uma população estudantil de dezenas de milhar de estudantes, e várias instituições de ensino superior. Como é capital de distrito, Coimbra tem dois jornais diários regionais de grande projecção: As Beiras e o Diário de Coimbra. São os jornais que encontramos em todos os cafés da zona Centro, com o público mais transversal, tanto em educação como em idade. São duas das maiores escolas de jornalismo do país, e por lá passaram e andam excelentes profissionais.

No entanto, as suas versões online são uma miséria: mau design, pouca informação, nenhuma interactividade, zero multimédia. Não satisfeitos com a falta de qualidade do site do jornal, a direcção das Beiras decidiu que para aceder aos conteúdos da sua página agora tem que se pagar. Na minha opinião, é das coisas mais estúpidas que eu vi no negócio.

Quando toda a gente está a investir na melhoria dos seus sites e a informação está em todo o lado e de borla, fazer isto é a mesma coisa que eliminar a presença do jornal da net. Os preços que pedem são ridículos: 30€ por ano para acesso à versão online, 50€ pela versão em PDF (para poderem comparar, uma assinatura anual geral da versão impressa são 105€).

O que é que a direcção das Beiras pensa ganhar com isto? Para já, perde leitores online para o seu principal concorrente, que tem aqui uma oportunidade de ouro para melhorar e pôr o seu site a render. Perde o público jovem, perde potencial público fora da região (possíveis futuros consumidores dos produtos dos anunciantes do jornal). E o que é que ganhamos com a versão paga em relação à gratuita? Eu não vejo vantagens nenhumas, e prevejo que as assinaturas da versão online não cheguem às duas dúzias. Posso estar enganado, claro, mas tenho a certeza que eles ainda estão mais errados do que eu.

Este caso é um paradigma da indústria dos jornais em Portugal na sua versão regional e local: mais do que atrasada é retrógrada, conservadora, moribunda, pobre. Com a importância avassaladora que possuem nas sociedades e comunidades das suas regiões, creio que nós todos merecíamos melhor. Leiam isto e pode ser que tenham alguma ideia.

UPDATE- enviei, no dia em que publiquei este post, um email para As Beiras a pedir um comentário à minha opinião, mas até hoje não obtive resposta. E, sinceramente, nunca estive à espera de receber alguma.

This is a real life case on how a newspaper is going down the wrong way.

Coimbra is one of the most important portuguese cities, and it’s the more traditional University city with a student population in the tenths of thousands, and several colleges. As a district capital, Coimbra has two prominent daily newspapers: As Beiras and Diário de Coimbra. These are the newspapers that we can find in every coffeshop in Mid Portugal area, and they have the most transversal audience, so much in education as in age. They are two of the biggest journalism schools in the country, and many excellent professionals have done or are doing their job there.

However, their online versions are disgraceful: poor design, almost no information, no interactivity, zero multimedia. Not happy with the lack of quality of their website, the board of the As Beiras decided that users must pay to access to their website contents. In my opinion, it’s one of the most stupid things that i have ever seen in the business.

While everyone is investing in developing their websites and information can be found for free everywhere, to do this is to eliminate the newspaper’s internet presence. The fees they ask are ridiculous: 30€ per year to access the online version, 50€ for the pdf full version (so you can compare, a general year subscription of the print edition is 105€).

What does the management of the As Beiras think it will make out of this? For starters, it will lose the online readers to their main competitor, that now has a golden opprtunity to improve and take prfit from their website. They will lose the younger audience, and potential outside of the region audiences (possible future consumers of the products of the newspaper advertisers). And what do we get more from the paid version over the free one? I can’t see no advantages at all, and i predict that the online subscriptions won’t reach the two dozens. I might be wrong of course, but i’m sure they’re even more wrong than me.

This situation is a model of the newspaper industry in Portugal, in it’s regional and local version: more than late, it’s backwards, conservative, dying, poor. With the overwhelming importance they have in their region’s societies and communities, i believe we all deserved better. Read this and you may get some new ideas.

UPDATE- I sent, on the same day i wrote this post, an email to As Beiras asking for a comment to this opinion, but i never got an answer back. And, honestly, i never really expected any.

As Beiras

Diário de Coimbra

Continue a ler ‘Suicídio Online | Online Suicide’




I moved | Mudei-me

140char

Sharks patrol these waters

  • 121,002 nadadores|swimmers
who's online

Add to Technorati Favorites

View my FriendFeed



Twitter

Add to Technorati Favorites Creative Commons License

Naymz | LinkedIn

View Alex Gamela's profile on LinkedIn

View Alex Gamela's page at wiredjournalists.com


Videocast

a

Ouçam o meu podcast AQUI | Listen to my podcast HERE |


My del.icio.us

Use Open Source

LastFM

 

Agosto 2014
S T Q Q S S D
« Out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.