17
Nov
08

Paulo Querido: “O fim da blogosfera”


slidepqb

O Paulo Querido fez a tão discutida apresentação no IV Encontro de Blogues intitulada “O Fim da Blogosfera”, e partilhou o seu slideshow que lhe serviu de apoio num artigo do Expresso. De acordo com o Paulo, “ já não há (energia na) blogosfera. Um título destes em 2006 teria pegado fogo à blogosfera, que então existia, em todo a energia das suas juvenis borbulhas.”

O ponto será esse mesmo, as borbulhas. A denominada blogosfera corporativizou-se, institucionalizou-se, atravessou um processo de selecção natural entre os seus pares, comercializou-se e aumentou o seu valor competitivo no mercado de conteúdos. Ou seja, passou das demonstrações juvenis e arranjou um emprego a sério. Pelo menos alguns arranjaram. Mas isso, no meu ponto de vista, só significa que a blogosfera, como em qualquer outra actividade – desde o póquer ao golfe, desde a pintura à música – vive muito de uma massa anónima que faz o que faz por gosto, mas poucos conseguem ser estrelas ou viver disso. E muitos desistem logo ao início ou a meio, ou mantém uma actividade regular com resultados modestos mas pessoalmente satisfatórios.

Mas um blogue é apenas uma plataforma e não uma forma de expressão. Essa expressão é hoje traduzida em posts e recados em redes sociais, no Twitter, ou transformaram-se em elementos eminentemente visuais, deixando a palavra para trás. Por isso não podemos falar no blog como um estilo, mas apenas como o primeiro grande passo na democratização da expressão individual na web. Como disse Nicholas Carr ainda a semana passada:

“Blogging” has always had two very different definitions, of course. One is technical: a simple system for managing and publishing content online, as offered through services such as WordPress, Movable Type, and Blogger. The other involves a distinctive style of writing: a personal diary, or “log,” of observations and links, unspooling in a near-real-time chronology. When we used to talk about blogging, the stress was on the style. Today, what blogs have in common is mainly just the underlying technology – the “publishing platform” – and that makes it difficult to talk meaningfully about a “blogosphere.”

O conceito de blogosfera nunca foi realmente muito forte, e designava na realidade a criação de conteúdos fora de uma estrutura comercial, por amadores, curiosos, pessoas com demasiado tempo livre e/ou demasiadas coisas para dizer, mesmo que na maioria das vezes não fossem nada de jeito.  Foi o nome que se deu à vaga de assalto gigantesca levada a cabo pelas pessoas “normais” na web – que aconteceu ao mesmo tempo de uma melhoria tecnológica e uma época perturbadora que incitava a essa expressão pessoal.

Será que podemos falar de um fim? Talvez, mas no fim de uma fase. Especialmente porque a plataforma é tecnologicamente válida, e será a mais indicada para uma série de projectos, desde relatos sobre a vida em países em desenvolvimento feitos por cidadãos independentes – ou sob uma ditadura – à criação de own media, como blogues informativos dedicados a nichos de mercado a que mais ninguém liga, ou a comunidades específicas. Por isso não é o fim, é uma mudança. Sobre a sua apresentação, o Paulo Querido diverge um pouco essa ideia:

Apresentei 2 sinais – entre outros que nos rodeiam – para reforçar a tese do fim de algo mais que um ciclo. Sinais que, no caso da blogosfera portuguesa, vêm sido detectados desde 2006. Mas aflorei ainda aspectos que contribuem para tirar impacto aos blogues (e energia aos autores e leitores). O surto das redes sociais e da participação dos indivíduos nelas, bem como as alternativas editoriais como o microblogging, que é onde agora está a acção.

Fim, transformação ou renascimento, numa mega esfera virtual a várias velocidades, os blogs ainda se mantém válidos numa realidade que já procura o que vem a seguir. De notar que todos os links que estão relacionados com este assunto – aqui e noutros lados – são blogs ou variantes.

A ver também:

José Luis Orihuela no IV Encontro de Blogues

APONTAMENTO SOBRE O ENCONTRO DE BLOGUES

Participação no IV Encontro de Blogues da UCP



AddThis Social Bookmark Button

Share on FriendFeed

About these ads

0 Responses to “Paulo Querido: “O fim da blogosfera””



  1. Deixe um comentário

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s


I moved | Mudei-me

140char

Sharks patrol these waters

  • 122,091 nadadores|swimmers
who's online

Add to Technorati Favorites

View my FriendFeed



Twitter

Add to Technorati Favorites Creative Commons License

Naymz | LinkedIn

View Alex Gamela's profile on LinkedIn

View Alex Gamela's page at wiredjournalists.com


Videocast

a

Ouçam o meu podcast AQUI | Listen to my podcast HERE |


My del.icio.us

Use Open Source

LastFM

 

Novembro 2008
S T Q Q S S D
« Out   Dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: